Os Moradores de New South Wales (Nova Gales do Sul) na Austrália que forem encontrados com posse de armas de fogo impressos em 3D podem ser presos por mais de uma década.

O governo NSW alterou o Firearms Act de 1996 e a Lei de Proibição das Armas de 1998, na semana passada, a emissão de vários aditamentos sob a Proibição de Armas Armas, que inclui a criação do novo delito referente a armas impressas em 3D.

Nos termos, agora é considerado uma ofensa possuir projetos digitais de armas de fogo impressos em 3D ou fresadoras eletrônicas. O novo delito acarreta uma pena máxima de 14 anos de prisão.

Possuir ou usar uma arma impressa 3D já é ilegal de acordo com a legislação em vigor e é tratada da mesma forma que uma arma de fogo convencional. De acordo com o Bill, os isentos, são os autorizados para o fabrico da arma proibida  através de uma licença, ou aqueles que sejam agentes da polícia atuando no curso normal das suas funções.

Também foi relatado pela publicação no site australiano huffingtonpost, pelo professor de criminologia da Universidade Nacional Australiana Roderic Broadhurst, ele disse que os recentes avanços na qualidade e reduções no preço da tecnologia de impressão 3D fazem tais leis vitais.
“A grande história foi que em 2013 era uma arma de plástico que poderia disparar uma bala, mas eles hoje podem ser feitos de metal agora”, disse Broadhurst.
Atualmente, é possível imprimir com filamentos a base de madeira, cerâmica, PLA (base milho), há um artigo sobre isso. No Brasil já está à venda, via no site de Filamentos 3D Brasil.

Na época, a criação teria sido testada e 200 cartuchos foram disparados com sucesso através de um dispositivo impresso em 3D sem quaisquer sinais de mau funcionamento ou complicações. Se essa moda pega no Brasil, imagina, o uso de policarbonato em armas serão indetectáveis em sensores de metais, a não ser no raio X e se usarem balas de borracha, pior ainda.

Confira o vídeo abaixo:
[youtube src="R2L3QP5qVgo"/]
[ads-post]

O site gnu.org fez uma matérias onde considera o software Microsoft como malware, juntamente com a Apple e Amazon. Para alguns essa temática abordada pelo projeto GNU nem é novidade, mas parece que eles reuniram provas através de análises de vários sites pelo planeta. Você pode achar normal, afinal o que poderia vir do projeto que prega a liberdade de código, não é?
Mas pela primeira vez, ao invés de atacar filosoficamente, eles apresentaram provas. A FSF é bem conhecida por dizer tudo na lata e muitas vezes por não medir o que vai dizer e como dizer. Mas, qualquer declaração vindo deles, em especial para a Apple e Amazon podem acarretar em um impacto negativo.

E aí você, pensa…mas o Windows então está vindo com vírus ou códigos maliciosos? Bom, digamos que o texto que eles escreveram ataca a parte filosófica da Microsoft, no que diz respeito as licenças e as novas adaptações que foram feitas para o Windows 10.

Trocando em miúdos, FSF diz que “Malware significa software projetado para funcionar de maneira tosca afim de maltratar ou prejudicar o usuário.” Mas, o site não faz nenhuma menção ao fato de que alguns usuários saberem aonde estão colocando os  seus pés, ops todo o seu computador.

Eles alegam que os sistemas Windows têm um backdoor escondido e que no Windows 10 o backdoor é usado para instalar as atualizações automaticamente, já no Windows 8 ele pode desativar remotamente programas, a Microsoft continua a insistir para que os usuários a instalem o Windows 10, a empresa envia várias informações à NSA e se houver algum problema é que abordam o usuário, recentemente a Microsoft acabou com os lançamento s de correções de segurança para o Windows XP, mas com a exceção de algumas empresas que pagam para que a empresa M$ mantenha as atualizações de pé, o que deve esta irritando a gigante que já foi denunciada várias vezes por favorecer o governo dos EUA vantagens, e assim eles precisam que as empresas adotem seu backdoor Windows 10.

Como você pode imaginar, eles também falaram sobre a configuração padrão no Windows 10, que permite que a Microsoft vá “bisbilhotar” a vida dos usuários, a criptografia do Windows 10 quando o disco esta cheio dá à Microsoft uma chave para escanear o que quiser, e quando quiser, já o Microsoft SkyDrive permite que a NSA examine diretamente os dados dos usuários.

Recomendamos que você leia o artigo do site GNU!
[ads-post]

Neste artigo, vamos ver como instalar o Systemback no Ubuntu, Debian, Fedora, ArchLinux, Mageia e outros! O Systemback é um aplicativo muito utilizado por muitos administradores Linux, ele permite criar backup do seu sistema ou gerar de forma prática live CD.

Systemback, como instalar no Ubuntu, Debian, Fedora, ArchLinux, Mageia e outros!

Vamos utilizar o pacote fonte via site oficial do Systemback, por isso, caso você veja este tutorial daqui a alguns anos, não se preocupe, o procedimento será o mesmo para qualquer versão.

Vamos lá!

Primeiro vamos baixar o pacote fonte, ele utiliza o empacotamento tar.xz; para isso, clique no botão:

Agora vamos dar início ao processo de instalação, lembre-se de trocar o meu usuário emanuel pelo o seu usuário!

[code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]cd /home/emanuel/Downloads/[/code]

No momento deste tutorial a versão atual é a 1.8.402

[code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]tar -xJf Systemback_Install_Pack_v1.8.402.tar.xz[/code]

Agora, depois da extração do arquivo, entre no diretório:

[code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]cd /home/emanuel/Downloads/Systemback_Install_Pack_v1.8.402[/code]

Pronto! Dentro do diretório existe um arquivo chamado install.sh, então tudo será mais fácil:

[code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]sudo sh install.sh[/code]

A instalação vai continuar de forma automática, e pronto, tudo configurado.
[ads-post]

FSlint veja como instalar no Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE e qualquer GNU/Linux!
Neste artigo, vamos ver como instalar o FSlint que é utilizado para encontrar e remover arquivos duplicados no Ubuntu, Fedora, Debian, openSUSE! Em algumas distribuições o pacote já vem no repositório oficial, em outras é preciso compilar a partir do código fonte, para isso siga o tutorial abaixo conforme a sua distribuição.


Para Ubuntu e derivados o pacote já está nos repositórios oficiais, para instalar execute os comandos abaixo:

[code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]sudo apt-get update[/code][code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]sudo apt-get install fslint[/code]

Para Debian e derivados execute os comando abaixo:

[code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]git clone https://github.com/pixelb/fslint.git fslint-2.45[/code][code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]cd fslint-2.45[/code][code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]dpkg-buildpackage -I.git -rfakeroot -tc[/code][code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]sudo dpkg -i ../fslint_2.45-1_all.deb[/code]

Para Fedora e derivados, o pacote já está disponível nos repositórios oficiais, bastando executar o comando abaixo:

[code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]sudo yum install fslint[/code]

Para o Red Hat é recomendável instalar através dos comandos abaixo:

[code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]git clone https://github.com/pixelb/fslint.git fslint-2.45[/code][code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]tar -czf fslint-2.45.tar.gz --exclude=.git fslint-2.45[/code][code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]rpmbuild -ta fslint-2.45.tar.gz[/code][code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]sudo rpm -Uvh ~/rpmbuild/RPMS/noarch/fslint-2.45-1.noarch.rpm[/code]

Para openSUSE e derivados, você também deve executar os comandos abaixo, note que esta versão é a 2.42 considerada estável para o openSUSE:

[code type="Cole no terminal e pressione ENTER"][ -f /etc/mandrake-release ] && pkg=rpm[/code]
[code type="Cole no terminal e pressione ENTER"][ -f /etc/SuSE-release ] && pkg=packages[/code]
[code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]wget http://www.pixelbeat.org/fslint/fslint-2.42.tar.gz[/code][code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]sudo rpmbuild -ta fslint-2.42.tar.gz[/code][code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]sudo rpm -Uvh /usr/src/$pkg/RPMS/noarch/fslint-2.42-1.*.noarch.rpm[/code]

Para openMandriva e derivados, execute os comandos abaixo:

[code type="Cole no terminal e pressione ENTER"][ -f /etc/mandrake-release ] && pkg=rpm[/code]
[code type="Cole no terminal e pressione ENTER"][ -f /etc/SuSE-release ] && pkg=packages[/code]
[code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]git clone https://github.com/pixelb/fslint.git fslint-2.45[/code][code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]tar -czf fslint-2.45.tar.gz --exclude=.git fslint-2.45[/code][code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]sudo rpmbuild -ta fslint-2.45.tar.gz[/code][code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]sudo rpm -Uvh /usr/src/$pkg/RPMS/noarch/fslint-2.45-1.*.noarch.rpm[/code]

E para todas as distribuições que não foram citadas acima, você pode instalar via código fonte, através dos comandos abaixo:

[code type="Cole no terminal ROOT e pressione ENTER"]git clone https://github.com/pixelb/fslint.git[/code][code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]cd fslint[/code][code type="Cole no terminal e pressione ENTER"](cd po && make)[/code][code type="Cole no terminal e pressione ENTER"]./fslint-gui[/code]
[ads-post]
Tecnologia do Blogger.